Atitude

1 João 5.14-15

14 Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, ele nos ouve. 15 E se sabemos que ele nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que temos o que dele pedimos.

A terceira convicção desta semana é uma certeza, expressa de duas formas diferentes: “sabemos” que ele ouve nossas orações e “sabemos” que já temos a resposta do que pedimos (v. 15). Obviamente, Deus sempre sabe o que pedimos (Sl 139.4), e não precisa ouvir nossa voz para que comece a “processar a encomenda”. Ouvir aqui é sinônimo de atender: Deus ouve e atende nossas orações.

Mas há uma condição no versículo 14. Deus atende as orações que estão de acordo com a vontade dEle. Diante disso, podemos reagir de duas maneiras. A primeira é: “Isso não é justo! Como eu vou saber se o que eu quero é o que Ele quer me dar? Ou será que eu tenho que ficar tentando, até pedir certo?” Contudo, o crente que está buscando andar em comunhão com Deus (o tema de 1João) aceitará que a melhor maneira de recebermos essa verdade é a que o Senhor Jesus ensinou e praticou (Mt 6.10; Mt 26.39).

A oração é o momento em que entregamos a Deus todos nossos direitos e desejos. Quem tenta impor, exigir, negociar ou manipular a Deus para conseguir alguma coisa não verá a resposta das suas orações, por mais que ore.

Mas o crente que está andando na luz, de pecados confessados, amando os irmãos e guardando-se de falsas doutrinas, aproveitará cada oração e pedido para humildemente deixar Deus decidir o que é bom para ele. Como disse John Stott, “Toda oração verdadeira é uma variação do tema ‘Faça-se a tua vontade’”.

Por tudo isso, que tal apresentar novamente a Deus seus pedidos, buscando essa atitude? Você tem usado seu diário de oração?


Devocionais nas cartas de João – Textos na versão NVI (Nova Versão Internacional)
DANIEL SIMÕES – extraído do Diário de Hora Silenciosa da organização Palavra da Vida, usado com permissão